segunda, 20 de janeiro de 2020

GREVE

Porto Velho continua sem transporte coletivo

13/01/20 17:12

Motoristas e cobradores reivindicam pagamentos atrasados e melhorias no transporte da capital.

Os pontos de ônibus de Porto Velho amanheceram vazios nesta segunda-feira (13) pelo terceiro dia seguido, devido à paralisação geral do transporte coletivo que a capital enfrenta desde o último sábado (11).

Devido à falta de pagamentos do atraso do salário do mês de dezembro, décimo terceiro, férias vencidas, falta de cestas básicas e tickets de alimentação, cerca de 600 motoristas e cobradores de ônibus do Consórcio Sim estão em greve desde o sábado (11) após a reunião de sexta-feira (10) entre o Sindicato e o Consórcio, que não chegaram a um consenso para adequar algumas reivindicações dos trabalhadores.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transportes Urbanos de Rondônia (Sitetuperon), Francinei Oliveira, a greve ocorre após diversas tentativas de acordo com o Consórcio SIM.

“Depois de várias tentativas de acordo que não fosse prejudicial aos passageiros, trabalhadores e empresa não tivemos alternativa além do movimento. Infelizmente o acordo que fizemos com a empresa de pagar o salário do mês de dezembro aos trabalhadores não foi cumprido. A empresa apenas disse que não tem condições e nem previsão para pagar o salário”, disse o presidente.

Sindicato pode ser multado em R$ 100 mil reais

A Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran), divulgou através de nota que o Sitetuperon pode ser multado pelo Tribunal Regional do Trabalho em R$ 100 mil por dia, por conta da greve, a secretaria encaminhou as informações à Procuradoria Geral do Município (PGM) para acionar o Tribunal Regional do Trabalho (TRT), tendo em vista que no dissídio coletivo de 2019/2020 do Consórcio do Sistema Integrado Municipal de Transporte de Passageiro (Consórcio SIM) com o Sitetuperon havia sido acordado que não poderia haver paralisação nesse período.

Motoristas reivindicam melhorias

Gilcimar Freitas é motorista há mais de 22 anos e, disse que quando começou a trabalhar existiam quatro empresas de ônibus em Porto Velho, Estrela do Oriente, Itamarati e Rio Madeira. Naquela época rodava 13 ônibus da linha Tancredo Neves, 14 no Guajará e sete no São Francisco.

“Hoje roda dois ônibus na linha do São Francisco, se rodar cinco ônibus na linha do Tancredo Neves é muito, na linha Guajará tem apenas seis ônibus. Tudo bem os passageiros caíram, mas ao invés de colocar táxi por que não colocam três empresas em concorrência? Para nós eu acho isso bem mais viável”, pontuou.

A empresa de transportes Consórcio SIM possui 45 linhas de ônibus e 160 veículos para 85 mil usuários. No período escolar a frota diminuiu 30% dos passageiros deixando apenas 48 ônibus disponíveis para a população.

Fonte

Diário da Amazônia



Categorias: GREVE


DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?