segunda, 17 de fevereiro de 2020

JUSTIÇA

Justiça continua de olhos vendado nas invasões de casas do residencial cristal da Calama

21/01/20 07:00

Porto Velho, RO – Na manhã desta segunda-feira (20), dirigentes da Associação de Moradores fez um alerta de que sem tetos estão promovendo invasões de imóveis no Residencial Cristal da Calama. Para os dirigentes, às autoridades deveriam impedir as ações dos invasores, segundo eles, pessoas  não sorteados tentam ocupar, ilegalmente os imóveis.

A informação levou preocupação aos moradores das duas etapas do residencial, empreendimento financiado pelo Governo Federal às famílias de baixa renda em todo o País. Em Porto Velho, a coordenação do Programa Habitacional Minha Casa Minha Vida, ora é da Prefeitura, ora é do Governo do Estado através das Secretarias de Assistência Social da Família (SEMASF/SEAS).

O Cristal da Calama é uma atribuição do Governo do Estado, que criou uma Coordenadoria de Habitação própria. Trata-se de um conglomerado de casas com dois quartos, cozinha, banheiro, sala de estar e área de serviço. Os imóveis serão entregues mediante sorteio público e contempla famílias de baixa renda entre um a três salários mínimos.

Desde que foi construído, o Cristal da Calama passa por uma série de invasões dos imóveis. Além das ocupações ilegais, geralmente, por não contemplados e que continuam na lista de espera do Governo, desde o ano passado, segundo informações, o residencial vem sendo alvo de outra ocupação ilegal: a ação de falsos corretores que são acusados de alugar e vender os imóveis ainda ocupados.

A nova tentativa de invasão prevista para a madrugada desta segunda-feira (20) não foi cumprida até as 14horas. Porém, moradores ligaram para a redação do CORREIO DE NOTÍCIA dando conta de que, grupo de pessoas nunca vistas no local passaram a manhã rondando parte das quadras onde há imóveis desocupados da segunda etapa do residencial. Porém, a suposta ocupação não aconteceu.

Apesar das ameaças terem se tornado público e que há registros de pessoas ocupando, ilegalmente, parte dos imóveis da primeira etapa, não há notícias de que a Coordenadoria de Habitação tenha atuado junto à Secretaria da Assistência Social (SEAS), para que os ocupantes ilegais sejam desalojados. Segundo dirigentes da Associação de Moradores, ‘em outras capitais do País, os invasores são retirados em ações judiciais patrocinadas pelo Banco do Brasil e pela Caixa Econômica Federal’.

Em contato com um servidor da agência do Banco do Brasil, localizada na Avenida Amazonas, bairro Agenor de Carvalho, a Reportagem foi informada que, ‘o banco apenas é o responsável pelo recebimento das mensalidades previstas nos contratos dos mutuários do Programa de Habitação do Minha Casa Minha Vida’. No caso de medida judicial, quanto a supostos atrasos nas prestações de retomadas dos imóveis por inadimplência ou ocupação ilegal, o Banco do Brasil, gestor financeiro do Cristal da Calama, aguarda manifestação da Justiça para tomar os procedimentos cabíveis’, revelou a fonte anônima.

 

Fonte

Por Xico Nery   



Categorias: JUSTIÇA


DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?