sábado, 29 de fevereiro de 2020

GRILAGEM

Ex-pastora evangélica volta a ser denunciada por suposta grilagem de terras

08/01/20 10:23

Porto Velho, RO – Apesar de denunciada à Polícia Federal,  ao Ministério Público Federal (MPF) e à Superintendência Estadual do INCRA por suposto envolvimento em casos de usurpação de terras devolutas da União, uma Ex-Pastora evangélica voltou a ser denunciada, nessa terça-feira (7).

De acordo com agricultores assentados na estrada da Areia Branca e do Rio das Garças, em relatos feitos ao jornal  CORREIO DE NOTÍCIA, segundo eles, ‘ela insiste em  intimidar colonos e moradores da região sob o argumento de que é a dona de várias propriedades que fazem parte das Glebas Areia Branca e Candeias’. Além de  terrenos do perímetro urbano na Zona Sul da cidade.

Vários são os interesses para a existência dessa prática: especulação imobiliária, venda de recursos naturais do local (principalmente madeira), lavagem de dinheiro e até captação de recursos financeiros.

As denuncias, indicam que a Pastora iniciou a grilagem desde o governo Confúcio Moura (MDB) e na gestão do ex-Superintendente Estadual do INCRA, Cletho Muniz Brito (Britão do INCRA). A pastora, também é acusado pelas famílias das vítimas e por pequenos produtores rurais de ameaçar aqueles que se opuserem a ela no processo de apropriação de terras. Apesar das suspeitas envolvendo a pastora latifundiária, ela nunca foi condenada por grilagem de terras.

A suposta líder religiosa – que ainda não terá a identidade revelada -, segundo lideranças agrárias, ambientais e quilombolas que lutam pela posse definitiva das terras já ocupadas, mansa e pacificamente, ao menos três décadas, ‘circulava com desenvoltura nos anais do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) em Rondônia, comandados pelo então Chefe da Divisão de Recursos Fundiários, o técnico agrícola e ex-militar, Eustáquio Chaves Godinho’.

Imagem: Divulgação

Munida de supostas escrituras sob contratos de supostas promessas de compra e venda de terras e declarações de posse, à mão, a denunciada evangélica, residente e domiciliada no Setor Leste do Conjunto Habitacional Eletronorte, continua indo às áreas ocupadas pelas famílias sob escolta de policiais militares. Esse fato, segundo agricultores, será relatado ao Comando Geral da Polícia Militar, além da Polícia Federal, ao MPF e ao Ministério Público do Estado, nessa quarta-feira 8.

No caso específico, áreas ainda ocupadas por agricultores familiares da denominadas Glebas Areia Branca e Candeias do Jamari, a ex-Pastora e mais cinco supostos proprietários das terras de propriedades da União Federal, segundo denunciantes, eles ‘citariam, continuamente, os nomes dos ex-chefes de Divisões de Recursos Fundiários, Projetos Agrários, Britão do INCRA e do ex-Superintendente Interino Erasmo Tenório da Silva, além do Técnico Agrícola, Eustáquio Chaves Godinho, todos afastados do órgão durante operação da Polícia Federal, no final de 2019’.

INFLUÊNCIAS – Segundo fontes ligadas ao diretório do MDB, além de candidata a deputada federal pelo partido do atual senador Confúcio Moura (MDB), na condição de filiada à legenda, a acusada teria sido beneficiada com licenças ambientais pela ex-Secretária do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), a geógrafa paraense Maria Nancy Rodrigues. Mas, quem operaria as dragas seria o marido, tido como um dos supostos contribuintes da campanha eleitoral do senador emedebista, segundo aponta cadastro divulgado por um ex-dirigente de uma cooperativa de mineração em Humaitá, sul do Amazonas.

GRILAGEM DE TERRAS – De acordo com juristas locais ouvidos pela Reportagem, nessa terça-feira (7), ‘no Brasil, grilagem de terras é a falsificação de documentos para, ilegalmente, tomar posse de terras devolutas ou de terceiros, bem como de prédios indivisos’. Segundo eles, ‘o termo também designa a venda de terras pertencentes ao poder público ou de propriedade particular mediante falsificação de documentos de propriedade da área cujo agente de tal atividade é chamado grileiro’.

Imagem: Divulgação

 

Fonte

da Redação/CNR | Por Xico Nery  



Categorias: Grilagem


DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?