domingo, 05 de abril de 2020

Torcer contra não resolve o problema

03/02/20 22:14

Governador Marcos Rocha (E) Júnior Gonçalves (D)

Com o aumento da utilização de redes sociais como plataformas de informação, a liberdade na criação e compartilhamento de informação dá ao internauta o poder de ser agente ativo na disseminação cotidiana de informações online. Atualmente vivemos num mundo com sede de informação com credibilidade, um atributo essencial nos meios de comunicação, além de um jornalismo comprometido com o rigor da apuração, notícias atualizadas em tempo real e análises de profissionais qualificados, nesse sentido, o Portal “Correio de Notícia” bateu o próprio recorde de acessos já alcançados por usuários durante o mês de janeiro.

Política

Fazendo uma análise dos comentários dos leitores sobre o conteúdo escrito no artigo, publicado neste espaço no dia 14 de janeiro deste ano, sob o título Incapacidade pode levar o Estado à falência, de autoria do jornalista e Editor-Executivo do Jornal Correio de Notícia, Edilson Neves – mesmo em se tratando de questões políticas – mereceu dos leitores considerações por parte dos leitores. De início, devo agradecê-los e em geral, agradecer os comentários.

Casa Civil

O artigo questiona a capacidade de Júnior Gonçalves chefiar a Casa Civil do Governo de Rondônia. Órgão, ligado diretamente ao Poder Executivo e tem como principal função, auxiliar o governador na organização e planejamento do funcionamento da máquina administrativa.

Desempenho

Além de assistir, direta e indiretamente ao governador, contribuindo para o bom desempenho de suas atribuições, especialmente na coordenação das ações governamentais e no “bom relacionamento com o Poder Legislativo”, coordenar as políticas e projetos que devem ser colocados em prática; chefiar todas as Secretarias que fazem parte do Governo; articular com as bancadas na Assembleia Legislativa para garantir a aprovação de projetos importantes que interessam ao executivo; acompanhar o andamento dos planos de Governo; verifica se os atos do Executivo são constitucionais, além de indicar pessoas para assumir Secretarias.

Agradecimento

Nesse sentido, o presente artigo tem por objetivo apresentar algumas observações aos comentários realizados pelos internautas. Inicialmente, agradeço a interação e o interesse dos leitores em acessar o site e comentarem o assunto trazendo contribuições significativas sobre o tema, nesse contexto, entendemos que podemos contribuir massivamente com a conscientização do eleitor, informando-o sobre o que estar acontecendo no âmbito político do nosso estado. Nesse contexto, a interação dos leitores é parte essencial nos dias atuais.

Desejar mal

Identificamos e comparamos vários comentários: em um deles, me perguntaram se eu estava torcendo para que o Governo Marcos Rocha dê errado! Serei bastante categórico. “Não dá para torcer contra um Governo que nem sabe que é Governo; não dá para desejar que tal Governo se dê mal ou errado! Não vejo sentido nessa postura”. Até porque, quando um Governo dar errado, quem perde é o povo. Além do mais, se torcer resolvesse o problema, o Flamengo não sofreria gols!

Princesa por um dia

“Eu só quero que ele faça o que precisa ser feito e pare de prosopopeia para acalentar bovinos”. Não é um bom negócio, para Rondônia, ficar torcendo para que o governo se dê mal. Este governo que aí está, ao que parece, é mais um personagem daqueles programas de auditório do tipo “Princesa por um Dia”.

Pra que veio

Na verdade, com um pouco mais de um ano de mandato, o governo Marcos Rocha não mostrou pra que veio. Pensando nisso, e depois de conversar com alguns cientistas políticos, reuni as principais frases que sintetizam o pensamento sobre a oposição ao governo e sobre as origens da derrota dos políticos de plantão, analisando um a um, buscando no fim tentar entender e pautar uma alternativa para os próximos três anos.

Torcendo contra

Torço para que este Governo dê “certo”, da mesma forma que ele torce a favor dos pagadores de impostos – ele não tá nem aí, para com o contribuinte! Para ser bem honesto: Torço, sim, para que esse Governo dê certo, porque o povo já sofreu demais com governos anteriores.

Vamos esperar

Foram feitas algumas postagens nas redes sociais tipo, assim: “O cara assumiu há pouco tempo e vocês já estão torcendo contra?” Todos sabem que existe uma grande diferença entre administrar uma empresa privada e ser um gestor público. “Vamos esperar, tem que dar um tempo para saber se vai dar certo”, disse um leitor.

Segunda chance

Na atual conjuntura, podemos dizer, em um resumo extremamente simples: “Ninguém gosta de Governo que só pensa em cobrar impostos, muito menos de empresário que dá calote e não paga os direitos trabalhistas de funcionários”. No entanto, vejo que Marcos Rocha vem trabalhando muito para reduzir a taxa de desemprego; logo que assumiu o Governo, Rocha deu uma espécie de segunda “chance” para o empresário Júnior Gonçalves, dando-lhe um bom emprego. Darei falta para quem não compartilhar essas informações, contudo, é importante ressaltar que, antes da tripulação não gostar do piloto, o piloto faz questão de sinalizar que não gosta da tripulação: Como pode ser possível um Governo inexperiente ser chefiado por um empresário mal sucedido, dar certo?

Tetas do Governo

A respeito desse assunto uma coisa precisa ser esclarecida: Estamos caindo nas mesmas armadilhas dos políticos antecessores! Alguém pode até ficar incomodado com o conteúdo desse artigo, porém, quem vive “mamando nas tetas do Governo” certamente tem o direito de discordar da minha opinião! No entanto, quem não vive nas benesses do erário, jamais “será a favor de um Governo tão incompetente”.

Profecia

O leitor, Eduardo Palhares, comentou o seguinte: “O desgoverno de Júnior Gonçalves está apenas no início. Sofreremos muito mais! Marcos Rocha é uma farsa! Foi catapultado ao poder no oba, oba da onda Bolsonaro. Mas, não há dúvidas que é incompetente”! .Oseias Silva, complementou, dizendo: “Faço das suas as minhas palavras”, Eduardo.

Brincando

Ao comentar o artigo, João Rodrigues, disse o seguinte: Na minha opinião, ainda nem começou! Todos sabem que existe uma grande diferença entre governar uma empresa privada e ser gestor público. De duas uma: Ou o governador desconhece a importância da Casa Civil ou está brincando de ser governador, complementou, João Rodrigues.

Banho-maria

Outro leitor fez o seguinte comentário: “O  Governo atual, de fato, precisa mostrar a que veio; até agora, só “banho-maria”; para isso tem que selecionar melhor seus assessores”. Porém, a leitora faz a seguinte afirmação: O potencial de Rondônia está muito acima dos gestores que, ai estão, disse Clícia.

Hipertrofia corporal

“Infelizmente, o Governo de Rondônia está parecido com um jogador de futebol que, quanto mais engorda, mais aumenta a possibilidade de (hipertrofia corporal) marca menos gols (atrofia de resultado). Em outras palavras: O Governador de Rondônia tem hipertrofia como gestor, atrofia como provedor social, solidificando a postura dos mal gestores”.

*Edilson Neves é Jornalista e Editor do  jornal Correio de Notícias de Rondônia



DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
PUBLICIDADE
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?