sábado, 04 de abril de 2020

A força da sobrevivência

03/03/20 08:19

O ímpeto pela sobrevivência é a força motivadora da protagonista do filme “Meu nome é Sara”. A obra conta a história de uma menina judia polonesa de 13 anos que consegue fugir da Polônia invadida pelos nazistas para a Ucrânia, onde se passa por cristã para se manter viva em uma vila de fazendeiros.

Atua como babá de uma família e, pouco a pouco, se insere em um universo afetivo de traições sucessivas do casal, de exploração econômica dos nazistas que dominam a área e dos grupos de partisans soviéticos que igualmente levam animais e produtos agrícolas para sobreviver.

A produção americana é filmada na Polônia, com excelentes atores, e consegue transmitir o sofrimento de Sara, que até dorme com um pano na boca, para que os outros moradores da casa não escutem o hebraico que pronuncia quando tem pesadelos em situações de estresse. A cada cena se evidencia como fingir ser outra pessoa o tempo todo é um imenso desafio.

A Sara Góralnik do filme é a mãe do produtor executivo da obra. Única sobrevivente da família do Holocausto, ela compartilhou sua trajetória ao filho apenas nos últimos dez anos de vida. Levar essa história ao público é uma maneira de resistência aos ventos pouco animadores de retomada de preconceito étnico e religioso que sopram pelo mundo.

  • Por Oscar D’Ambrosio 



DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
PUBLICIDADE
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?