sexta, 20 de setembro de 2019

Tudo tem inicio, meio e fim

09/07/19 16:04

Um pequeno resumo de alguns acontecimentos do fim de uma farsa, que comumente conhecemos como a “Grande Verdade”.

Existe um versículo nas Escrituras Sagradas que diz mais ou menos, assim: ‘Quem planta colhe’ – ou seja: Aquilo que você plantou um dia irá colher! Isso é, absolutamente, verdadeiro; e foi Deus quem criou, para que possamos fazer as melhores escolhas.

Plantio – Quem planta pouco, colhe pouco; quem planta muito, colhe muito; Quem planta flores,colherá flores; Quem planta espinho, irá colher espinho; Quem planta vento, certamente, irá colher tempestade.

Inferno astral– Pode parecer exagero, mas há quem jure de pé juntos que o inferno astral existe. E é, absolutamente, ‘infernal’. Alguns nem sabem do que se trata, mas, o ex-deputado Neodi Carlos, certamente, deve saber como é essa fase de mudanças de um ciclo para outro. De qualquer forma, imaginamos que, o ciclo ascendente do ex-deputado Neodi terminou e, agora, começa novo período da sua vida, que podemos considerar ‘inferno astral’. No entanto, nem sempre um término de um ciclo é o fim do mundo! Entretanto, percebe-se que é chegada a hora do ex-presidente vivenciar o seu momento ‘infernal’.

Juízo Final – Trata-se de dois ex-presidentes da Assembleia Legislativa de Rondônia, que recentemente, foram condenados por desvio de dinheiro público enquanto presidiam o Parlamento rondoniense. Isso mesmo! Francisco Neodi Carlos Oliveira e João Ricardo Gerólomo de Mendonça (OKaká Mendonça) foram condenados a 29 anos de prisão. Em regime fechado! Claro que cabe recurso.

Quadrilha – Ambos acusados de formação de quadrilha, peculato e desvio de dinheiro do contribuinte por meio de uma tal de ‘folha paralela’ da Casa de Leis. Kaká foi condenado a 19 anos, um mês e dez dias de prisão, acusado de desviar R$ 930.447,96 por intermédio de 51 pessoas inseridas na folha de pagamento do Legislativo, para as quais eram emitidos, mensalmente, cheque-salários que eram sacados e embolsados pelo então deputado.

Julgamento – Já o ex-presidente Neodi Carlos, foi condenado a uma pena menor, 10 anos e quatro meses de prisão, também foi acusado de peculato, formação de quadrilha e de desviar R$ 287.919,82 dos cofres públicos por meio da tal folha paralela, Além da perda de cargo, emprego, função pública ou mandato eletivo ainda que, eventualmente, ocupado (s) pelos condenados, cabe recurso e poderão recorrer em liberdade.

Dia de azar – A decisão, já esperada foi proferida pelo Juiz de Direito, Titular da 2ªVara Criminal de Porto Velho, Edvino Preczevski. E o que mais chamou a atenção do magistrado foi à declaração dos rendimentos do ex-deputado, 1,5 milhão mensal.

Punição – Como se não bastasse, o Tribunal de Contas (TCE/RO), por unanimidade, decidiu com base no voto do conselheiro – substituto Francisco Júnior Ferreira da Silva (Chico Paraíba), relator da demanda, julgar irregular a Tomada de Contas Especial da Assembleia Legislativa de Rondônia. Segundo decisão da Corte, Neodi Oliveira e mais cinco pessoas terão que devolver mais de R$ 8 milhões aos cofres públicos do Legislativo, com valores devidamente atualizados.

Devolução – Quanto à questão da grana é importante ressaltar que, a situação financeira do ex-presidente Neodi Carlos vai muito bem, obrigado; vale lembrar que ‘ele, Neodi, recentemente, declarou rendimento mensal de 1,5 milhão’. Acredito, porém, que isso não será um problema para o Ex-presidente resolver; afinal, com tanto dinheiro assim, ele poderá resolver rapidamente, e ‘dentro da lei’.

Batendo na porta – Para alguns malfeitores, passamos anos e anos, esperando que se faça justiça, porém, para outros, quando menos esperamos a Justiça bate à porta, avisando que é chegada a hora de pagar pelos crimes que cometera. Nesse momento, nos damos conta de que “A Justiça é cega, mas não falha”.

Começo, meio e fim – Mas, como vinha dizendo… Na vida, tudo tem o seu começo, meio e fim! Todavia, creio que o fim só existe para quem não sabe recomeçar. Platão já dizia: ‘Poucos homens são melhores que outros, e esses homens, carregam a humanidade nas costas’. Porém, ‘não é o caso desses homens políticos’; ao contrário, o povo é quem os carregam nas costas.

Plantio – Mais uma vez, o povo assiste revoltado, o seu dinheiro suado sendo roubado por essa gente, e não faz nada! Mas, os dias passam depressa e a Lei da Semeadura e da Colheita é verdadeira, e não falha!

Colheita – O mais curioso dessa história, é que o ex-presidente Neodi Carlos e seus apoiadores de plantão andavam espalhando ‘à boca miúda’ que o ex-deputado Ezequiel (inimigo político do ex-deputado Neodi Carlos), logo, logo, seria preso! Porque eu não sei, todavia, de acordo com as Leis de Deus, aquela velha história, quem deseja o mal pros outros vai pra cima de si também.

Exemplo – O mais irônico de tudo isso, é que, na administração de Neodi, quando Presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, ele tentou passar para a população um exemplo de austeridade, transparência administrativa e respeito com dinheiro público, transformando a Casa de Leis num modelo ético na política de Rondônia, devolvendo recursos ao Tesouro Público Estadual, referente a economias nas verbas orçamentárias pela sua administração.

Devolução – Segundo o próprio Neodi, ‘Por três anos consecutivos, o Poder Legislativo economizou milhões de Reais e repassou para o Estado executar obras em benefício da população nos municípios do Estado’. Durante solenidades, Neodi chegou entregar ao governador Ivo Cassol, cheque simbólico de (R$…) milhões, resultantes da economia feita pelo Legislativo. À época, o governo Ivo Cassol chegou a elogiar a iniciativa da Casa de Leis ao devolver o dinheiro aos cofres do Estado, para serem investidos em obras nos municípios. Ironicamente, durante o período que Neodi presidiu a Casa de Lei, não se ouviu falar que o Homem tão generoso tenha levado um (1) só quilômetro de asfalto para Machadinho.

O leitor quer saber – Diante de tudo isso, sem querer levantar suspeitas, e muito menos duvidar da honestidade dos envolvidos, aproveito o momento para fazer algumas perguntas às quais é interessante refletir: Caro leitor, você, realmente, acredita que essa grana foi devolvida? Será que não era simplesmente uma encenação? Aonde foi parar esse dinheiro? Quem pode explicar isso? Eu não sei! ‘mas sei quem pode descobrir’.

Quem diria – Muito antes de surgir o movimento nacional pela Lei da Ficha Limpa, Neodi Carlos, já avia ganhado as manchetes dos jornais, tentando se transformar num modelo de uma nova ética na política, e agora, depois de alguns anos volta as páginas dos meios de comunicação condenado por formação de quadrilha, peculato e desvio de dinheiro público.

Ficha Limpa – Agora, os idealizadores da Ficha Limpa já sabem que Neodi Carlos, da pequena e remota cidade de Machadinho não foi o primeiro a erguer a bandeira da ética e da moralidade. Porém, jamais, poderíamos imaginar que um dia ele voltaria às manchetes negativas de jornais, como ladrão.

‘Escolher entre seguir uma única estrada ou pegar atalhos ‘duvidosos’ para alcançar certo destino, é um problema’. A solução, eticamente correta, nesse caso, será sempre uma só: ‘Pegar a estrada’. Júlio Lobos PhD pela Cornell University, no livro ético e Negócios, página 34.

– Por Edilson Neves | Jornalista e Editor do  jornal Correio de Notícias de Rondônia

 



DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
PUBLICIDADE
×

Olá!

Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?