segunda, 18 de novembro de 2019

Artigo

Dor nos músculos e articulações

23/04/19 08:14

Se você sente mais dor quando está frio ou chovendo, saiba que não é apenas sua imaginação. Embora os estudos mostrem resultados variáveis, a maioria conclui que mudanças na pressão barométrica e diminuição da temperatura podem sim causar mais dor em algumas pessoas (especialmente portadores de artrite).

Ana Paula Simões*

Posso dizer informalmente que muitos dos meus pacientes “sentem” uma mudança no clima quando algo dói principalmente se o local já foi operado. Quando o frio e a chuva estão a caminho, parece até previsão do tempo! A mudança no clima para o frio indica uma redução na pressão barométrica ou “baixa pressão” se movendo para determinada região. Quando o tempo esquenta, ou um “sistema de alta pressão” se move, o aumento da pressão barométrica pode trazer alívio. Curiosamente, vejo isso no mergulho também. Muitas pessoas que se queixam de dor nas articulações sentem conforto quando estão em profundidade durante o mergulho. Uma explicação razoável é o aumento da pressão ambiente.

Lembre-se de quando a vovó dizia: “A chuva está vindo, e eu posso sentir as minhas articulações doloridas” ela realmente sabia disso por causa do que acontece com nosso corpo quando ocorrem as mudanças de pressão barométrica.

Isso significa que a pressão contra o seu corpo cai também, suas articulações e áreas lesionadas podem começar a inchar ou doer. Este inchaço causas aumento da inflamação e exigimos que os hormônios aumentem sua atividade para lidar com essa situação.

Algumas teorias para o aumento da dor:

1) Alteração hormonal – Temos no topo de cada rim uma pequena glândula que produz adrenalina e cortisona. Estes dois hormônios nos ajudam com a energia, o humor, a função imune, o controle da dor e a famosa “fuga ou luta” como resposta a algo que nos atinge.  A cortisona (esteroide) é fundamental no controle da dor, função imune e energia. Quando a pressão cai, a tendência é a produção deste hormônio diminuir.

Você já percebeu também como a sua dor pode piorar durante a noite? Isso porque os nossos corpos diminuem a produção de ambos, adrenalina e cortisona, à noite, para que possamos ir dormir. É parte do nosso ritmo circadiano.

2) Mudança na carga elétrica – Algo semelhante acontece quando uma tempestade está vindo. Você conhece alguém que diz poder “cheirar” a neve ou chuva antes que ela venha? O cheiro é uma mudança na carga elétrica no ar. Tem sido descrito como um cheiro “metálico” que algumas pessoas percebem e alteram a eletrostática corpórea, gerando contração neural e consequentemente dor.

3) Teoria dos receptores – Existem muitos receptores no nosso corpo com terminações nervosas, que podem detectar fatores como textura, temperatura e pressão. No entanto, essas terminações nervosas também podem detectar mudanças na pressão barométrica no ar e responder, em algumas pessoas, com uma reação de dor. O caso é pior em pessoas que estão cronicamente estressadas, física ou emocionalmente, e nos idosos.

4) Contração – Uma última hipótese é que a dor no frio seja causada por tensão e contração muscular ao redor dos nervos e articulações, devido a vasoconstricção que a baixa temperatura causa.

Fato é que a maioria de nós não precisa de mapas e previsões meteorológicas para saber a dor que sente, mas talvez possamos tomar medidas para diminuir o sofrimento. Podemos comer corretamente, fazer exercícios e alongamentos, evitar os efeitos negativos das drogas ou álcool, aquecer o corpo e protegê-lo durante a exposição na rua. Se a dor persistir, procure um especialista.

 

Fonte

- Por Ana Paula Simões**Ana Paula Simões é Professora Instrutora da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e Mestre em Medicina, Ortopedia e Traumatologia e Especialista em Medicina e Cirurgia do Pé e Tornozelo pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. É Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia; da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, da Sociedade Brasileira de Artroscopia e Traumatologia do Esporte; e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte.



Categorias: Sem categoria


DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?