terça, 12 de novembro de 2019

GERAL

Vans e táxis piratas tem multas pesadas, diz Semtran 

10/10/19 18:04

Porto Velho, RO – Com lugares para mais pessoas, parte dos grupos de usuários do transporte coletivo convencional admitiram, nessa quinta-feira, 10, que trocariam ‘as viagens nos velhos ônibus e dos compartilhados pela economia que teriam no preço das passagens das vans, caso o novo sistema seja legalizado pela Prefeitura.

Para irem de um bairro a outro, com conforto e economia de dinheiro e mais rapidez, as pessoas ouvidas nos pontos de ônibus do centro da cidade, disseram que, ‘além da comodidade, preço mais baixo, se houver, as viagens podem ser vantajosas para quem trabalha e espera e sofre por mais de hora em abrigos improvisados’.

A diarista Júlia Pantoja, 38 anos, que veio da cidade de Humaitá trabalhar em Porto Velho, disse que ‘pelo menos as vans particulares podem oferecer um serviço melhor’, passando pra trás até mesmo os taxis compartilhados, atualmente, servindo melhor que os ônibus.

Se legalizado o novo serviço, em virtude do prefeito Hildon Chaves, vir sendo acusado de postergar a sanção da lei aprovada pela Câmara de Vereadores que dar o direito aos compartilhados de funcionar, legalmente, ‘as vans podem sepultar, de vez, o transporte convencional’, diz o consultor Lemes Soares, 48.

A Capital rondoniense continua em declínio no quesito transporte coletivo de massa voltado a passageiros que fazem o itinerário bairro – centro – bairro. Além da frota antiga de ônibus operada pelo Sistema Integrado Municipal (SIM), os usuários contam, também, com serviços clandestinos de condução de passageiros por taxi, mototáxi e compartilhados em meio à blitz por parte da SEMTRAN (Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transporte).

Em todas essas categorias, segundo o consultor Sergio Pontes, da Associação Comercial Distrital da Zona Leste, ‘o cidadão enfrentaria insegurança, desconforto, preço alto nas passagens, além da falta de serviços compatíveis com a valorização ainda não dada à nossa cidade por gestores plantonistas’.

O dirigente não quis comentar sobre o assunto das vans. Porém, admitiu, no entanto, que, ‘a cidade precisa de novas ações e serviços de qualidade por parte do poder público e do privado’. As mudanças e transformações que todos querem, também, a melhoria do sistema de transporte coletivo público e privado.

Atualmente, o sistema de transporte coletivo de passageiros para taxi-compartilhados funciona sob tolerância das autoridades. Para alguns vereadores fora da base aliada do prefeito, ‘enquanto isso prolifera na cidade os serviços clandestinos de transporte, seja por mototaxistas, compartilhados ou veículos por aplicativos’.  

Enfim, apesar da Prefeitura vir informando à população que qualquer tipo de transporte de passageiros sem autorização é considerado irregular, e que a SEMTRAN aplicaria multa no valor de R$ 3 759,00 (Três Mil, Setecentos e Cinquenta e Nove Reais) através da Lei Nº 2.506/2018, em seu Art. 6º, ‘não é isso que se ver nas ruas’, admitem os consultores ouvidos pelo CORREIO DE NOTÍCIA.

 

Fonte

da Redação/CNR



Categorias: GERAL


DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?