quinta, 14 de novembro de 2019

polícia

Exame vai comprovar se garoto foi enterrado vivo pelo próprio pai

19/06/19 16:40

O corpo de David Nonato ainda não foi liberado pelo IML, pois ainda passará por um exame de DNA.

O corpo de David Nonato Bento dos Santos, de 7 anos, morto pelo pai no dia 12 deste mês,continuará no Instituto Médico Legal (IML), até o resultado do exame de DNA. A afirmação foi repassada na manhã desta quarta-feira (19), pelo diretor do Departamento de Polícia Técnico Científica (DPTC), Lin Hung Cha.

O diretor explicou que o exame de DNA servirá para identificar se de fato David estava vivo quando foi enterrado pelo próprio pai. Nessa terça-feira (18), o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), delegado Paulo Martins, afirmou que o ajudante de pedreiro Rogério Alexandrino dos Santos, de 27 anos, relatou que não sabia ao certo se a criança estava viva no momento do sepultamento.

Rogério Alexandrino dos Santos matou o próprio filho a pauladas para se vingar da ex-mulher

Polícia Civil prende homem que matou e enterrou o próprio filho
O exame de DNA, segundo o diretor, também será utilizado para fazer a identificação da criança, que não possuía Registro Geral, e apurar as causas da morte.

Polícia confirma grau de parentesco

O posicionamento repassado pelo representante da Polícia Científica descarta algumas informações divulgadas em redes sociais de que o exame seria necessário, porque o preso estaria com dúvida da paternidade de David, por isso teria cometido o crime.

O delegado Charles Araújo, adjunto da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), negou que Rogério tenha expressado qualquer dúvida de ser o pai da criança.

Fonte

A Crítica



Categorias: POLÍCIA


DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?