quinta, 14 de novembro de 2019

Crônica:

O roubo da tatuagem

18/06/19 08:27

Rodrigo Alves de Carvalho*

Uma moça muito bonita adentrou apressada na sala do delegado Estevam.

– Doutor. Quero prestar uma queixa. Fui roubada!

O delegado pediu que a moça sentasse numa cadeira e apanhou um bloco de notas.

– Muito bem. O que roubaram da senhorita?

A moça com os olhos lacrimejando, suspirou:

– Roubaram minha tatuagem!

O delegado fez uma pausa. Olhou para o rosto bonito da jovem e anotou no caderninho.

– Pois bem. E como é essa tatuagem?

– Um coração com o nome de meu namorado dentro desse coração

O delegado anotou.

– E qual o nome de seu namorado?

– Carlos.

O delegado Estevam coçou o queixo e observou a moça sentada na cadeira.

– Onde estava localizada essa tatuagem?

No meu ombro esquerdo.

Ela levantou a manga da blusa e mostrou o local onde ficava a tatuagem.

Depois de varias notações, o delegado chamou um de seus homens e delegou as ordens:

– Quero que todos os nossos investigadores saiam no encalço dos suspeitos de terem roubado a tatuagem. Comuniquem a PM. Que nas entradas da cidade sejam feitas abordagens de quem entra e sai. Revistem todos os pontos suspeitos onde existam pessoas tatuadas e prendam quem estiver com tatuagem de coração para averiguação.

E assim foi feito. Toda força policial estava acionada e várias revistas a suspeitos realizadas. Toda população ficou apreensiva e inúmeras denúncias anônimas foram investigadas. Suspeitos com tatuagens de coração foram interrogados e em um bairro da cidade houve até troca de tiros entre a polícia e um suspeito que tinha um coração tatuado nas costas. Dois policiais foram baleados, Mas não correram risco de morte.

Após um pouco mais de um mês de investigações conseguiram localizar uma mulher com a tatuagem de coração com o nome Carlos dentro desse coração. A moça bonita foi chamada para o reconhecimento da tatuagem:

– É essa mesma a tatuagem que me roubaram doutor… Mas eu queria retirar a queixa!

O delegado olhou fixamente nos olhos da moça bonita e perguntou o por quê.

Ela levantou a manga da blusa e mostrou outro coração tatuado com o nome André dentro desse coração. A moça então sorriu e disse:

– É que eu troquei de namorado.

Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2018 lançou seu primeiro livro individual intitulado “Contos Colhidos” pela editora Clube de Autores.

Colabora com crônicas para jornais e Blogs Literários.

Fonte

*Por Rodrigo Alves de Carvalho



Categorias: Crônica


DEIXE SEU COMENTÁRIO
Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site CORREIO DE NOTÍCIAS DE RONDÔNIA. Todos os mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie.

avatar
×

Olá! Em que posso ajudar?

× Como posso ajudar?