O presidente do Cazaquistão, Qasim-Yomart Tokayev, começa nesta segunda-feira o processo de transição do poder no país diante do atento olhar de grandes potências, investidores estrangeiros e uma população que exige reformas urgentes.

Na primeira entrevista coletiva posterior à vitória nas eleições de ontem, o político, que assumiu em março – depois que “o pai da nação”, Nursultan Nazarbayev, deixou o cargo após 30 anos no poder -, disse rejeitar o termo transição e que se considera um chefe de Estado de pleno direito e “não um companheiro de viagem”.