segunda, 24 de junho de 2019

ZONA LESTE

Sem transporte escolar, alunos do setor chacareiro continuam sem assistir aulas. 

09/06/19 23:26

Porto Velho – Com o setor ainda em crise, o transporte escolar nas escolas desta parte da cidade continua sem funcionar desde o reinicio das atividades previstas para o ano letivo deste ano.

Para a presidente da Associação de Ação Popular Integrada dos Hortifrutigranjeiros da União (AAPIGHU), Gabriela Camargo, 45, ‘o Ministério Público Estadual (MPE) precisa intervir, uma vez que as crianças precisam caminhar longos trechos até as escalas’.

Foram realizadas reuniões na Câmara de vereadores e na Prefeitura na tentativa de normalizar o setor, mas o ex-secretário da Educação, César Licório, ao deixar o cargo teria deixado pendente as providências necessárias para o novo titular da SEMED normalizar o transporte escolar, no entanto, até agora, os ônibus não voltaram a circular nas linhas.

Apesar das intransigências de alguns departamento da secretaria de Educação (SEMED) que não atendem nem mesmo as intervenções do presidente da Câmara, Edwilson Negreiros (PSB) e dos colegas Allan Queiroz e Maurício Carvalho (PSDB), o transporte em Porto Velho ainda sofre fortíssimos revezes com as consequências dos ‘apagões’ no sistema atribuído a crise desse segmento na gestão Hildon Chaves.

Desde o início das aulas, mesmo diante do período chuvoso, os alunos da rede municipal de ensino Infantil, Fundamental e Médio foram prejudicados por falta de transporte ‘e ainda hoje essa situação vergonhosa e lamentável continua ocorrendo em pleno século 21’, reclama um agricultor filiado à Associação Boa Safra (ASBOA).

O transporte escolar em Porto Velho, sobretudo o destinado à zona rural, ‘nunca foi de boa qualidade nem pontual’, insiste o agricultor queixoso com três filhos estudante nas escolas São Miguel, Elenilson Negreiros e Ulysses Guimarães. Segundo ele, além de frotas velhas, sem condições de tráfego, ‘as crianças sempre foram transportadas como animais’.

Desde o reinício das aulas, grupos de pais de alunos chacareiros do Socialista, Jardim Santana, Ulysses Guimarães e da Estrada dos Periquitos tentam solucionar o problema da faltar de transporte junto à Secretaria de Educação do Município. Sem sucesso, agora, estão apelando ao Ministério Público (MPE/MPF). Pra eles, ‘quem deve obrigar o município a cumprir a Legislação’, alerta.

Fonte

Por Xico Nery | da Redação/CNR



Categorias: Sem categoria


Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of